terça-feira, 2 de outubro de 2012

Felina


Sagaz, é como eu resumiria o olhar da felina.

Uma tela branca com pintas surrealistas ao realce cativo.
As feridas no peito se camuflam sob o bojo volumoso.
Não diferente da espessura da sua capsula de proteção composta com pitadas de arrogância que parece indestrutível, mas não sobrevive ao poder enigmático do seu doce e sincero sorriso.

Sabe sentir cada toque porque sabe do que sua carne é capaz.
Sabe conquistar o que deseja quando se mostra mulher, escondendo seus sintomas de menina.
As sombras do passado implodiram a ponte que costumava ligar amor e confiança.
Aprendeu a classificar as pessoas de forma egoísta para se sentir melhor, mas não vê que só procura defeitos para aflorar motivos a fuga do seu poder de se sentir normal.

Se perde e se encontra todos os dias em seus emaranhados comportamentais, seus pensamentos racionais colidindo contra sua pseudo-fraqueza: esperança emocional e deslumbre sentimental ao oposto.

Sonha com o dia em que tudo será um pouco mais justo, ou pelo menos o suficiente para levantar uma bandeira branca e deixar-se cair.
Acorda , e por alguns segundos consegue ver brilho sincero no reflexo da sua íris através do espelho, logo depois, faz sua expressão mais ensaiada de mulher forte e só à tira para ter alguns pensamentos antes de dormir.

Ela duvida da beleza da vida, mas sabe que é uma artista, sabe que desenha sorrisos em cores alegres, iluminando tudo e todos a sua volta, esperando o seu dia de ganhar um pouco de luz.

Bira Senna
02/10/2012

3 comentários:

  1. Simplesmente assim.... Canso de tudo, durmo....acordo pronta.

    Beijos e Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou Silvia, eu conheço vc?

      Excluir
  2. Acredito que sim afinal vc me mandou um convite no face...rs.... Bem, brincadeira a parte, nos conhecemos somente de vista de algumas festas de familia na casa do me tio Nesinho....

    ResponderExcluir